Domicio do Nascimento Junior
 

Seleção para leitura
Consorciacao de pastagens
Manejo do Pastejo
Considerações do Professor
Avaliação de Pastagens com Animais
Avaliação de Forrageiras
Avaliação da Digestibilidade
Anatomia e Histologia
Adubação nitrogenada
Consumo
Capim-Elefante
Desfolhação
Degradação de Pastagens
Formação de pastagens
Ecologia
Fixação de Nitrogênio
Fenação
Irrigação de pastagens
Glossário
Manejo de pastagens
Morfogênese
Nutrição a pasto
Queima de pastagens
Produção de Matéria Seca das Pastagens
Perfilhamento
PRODUÇÃO ANIMAL A PASTO
Pastagens Nativas
Produção de sementes
Principios de Fisiologia
Pragas das pastagens
Raízes
Reciclagem de Nutrientes
Silagem
Seletividade animal
Suplementação
Sustentabilidade de pastagens
Valor Nutritivo

   Avaliação de Forrageiras

      CONSIDERAÇÕES SOBRE AS TÉCNICAS DE AMOSTRAGEM PARA AVALIAÇÃO DA MASSA FORRAGEIRA EM PASTAGEM
       
  17/1/2004  

Gelson dos Santos Difante
Prof. Domicio do Nascimento Júnior
ZOO 752
VIÇOSA – MINAS GERAIS
Dezembro/2003

INTRODUÇÃO

A maioria das propriedades pecuárias apresentam índices de
produtividade muito baixos e são caracterizados por deficiências de manejo, dentre as quais, ausência de monitoramento e controle da condição do pasto e da produção de forragem. A estimativa da variação da massa de forragem é uma das formas mais efetivas de gerar subsídios para os diversos processos de gerenciamento e tomada de decisão sobre o manejo do pastejo.
Existem várias técnicas disponíveis para estimar a massa de forragem das pastagens, como o corte de toda a forragem e sua pesagem; cortes de áreas de tamanho conhecido e métodos indiretos que correlacionam outras características mais facilmente mensuráveis com a massa de forragem.
Estimar a massa de forragem é imprescindível para o adequado planejamento da atividade, uma vez que a partir dessas estimativas pode-se estimar a taxa de acúmulo de matéria seca, e consequentemente, calcular a taxa de lotação e o desempenho animal através de ajustes na quantidade de forragem disponível. Além disso, a quantificação correta fornece indicações constantes sobre a utilização da forragem produzida ou dos níveis de perdas, fatores fundamentais na determinação da produtividade de sistemas agropecuários. A estimativa e o monitoramento das variações em massa de forragem tem um papel fundamental para a organização e racionalização do manejo do sistema.
Por outro lado, de acordo com Frame (1981), em muitos experimentos envolvendo produção animal em pastagens, a falta de medições de massa forrageira significa que informações importantes sobre os efeitos do manejo sobre o acúmulo, a taxa de acúmulo ou o consumo, simplesmente não são gerados, o
que compromete a interpretação dos resultados.
Neste contexto, técnicas eficientes que permitam estimativas rápidas e precisas de massa de forragem nas pastagens funcionam como ferramentas essenciais para o uso adequado dos recursos forrageiros existentes. Entretanto, existem algumas dificuldades, para se realizar estas medidas, entre elas, a variabilidade da vegetação tem sido apontada como um dos principais fatores nas pesquisas com pastagens, tornando a avaliação da produção forrageira uma técnica difícil, que requer adequados procedimentos de amostragem, para se
obter melhores estimativas de produção.
O objetivo desta revisão será abordar os principais aspectos que devem ser levados em consideração na avaliação da massa forrageira de uma pastagem, considerando a comunidade vegetal a ser amostrada, o grau de precisão das amostragens, a facilidade e disponibilidade de tempo, a condição da pastagem, e
outros fatores que possam auxiliar no conhecimento da área e posterior escolha do método de amostragem.
 
Retornar Seleção para leitura Artigo  sem moldura do site
 
   :: Fale Conosco ::
Todos os direitos reservados Domicio do Nascimento Junior. Produção do WebSite Valter Lobo