Domicio do Nascimento Junior
 

Seleção para leitura
Consorciacao de pastagens
Manejo do Pastejo
Considerações do Professor
Avaliação de Pastagens com Animais
Avaliação de Forrageiras
Avaliação da Digestibilidade
Anatomia e Histologia
Adubação nitrogenada
Consumo
Capim-Elefante
Desfolhação
Degradação de Pastagens
Formação de pastagens
Ecologia
Fixação de Nitrogênio
Fenação
Irrigação de pastagens
Glossário
Manejo de pastagens
Morfogênese
Nutrição a pasto
Queima de pastagens
Produção de Matéria Seca das Pastagens
Perfilhamento
PRODUÇÃO ANIMAL A PASTO
Pastagens Nativas
Produção de sementes
Principios de Fisiologia
Pragas das pastagens
Raízes
Reciclagem de Nutrientes
Silagem
Seletividade animal
Suplementação
Sustentabilidade de pastagens
Valor Nutritivo

   Irrigação de pastagens

      Produção de Bovinos em Pastagem Irrigada
       
  5/7/2001  

CARLOS MAURICIO S. DE ANDRADE
Estudante de DS em Zootecnia do DZO/UFV

As pastagens representam a forma mais prática e econômica de alimentação de bovinos, constituindo a base de sustentação da pecuária do Brasil. Sabe-se, entretanto, que os resultados econômicos que vêm sendo obtidos pela maioria dos pecuaristas do nosso país, com a produção de bovinos a pasto, podem ser considerados muito modestos tendo em vista o nosso grande potencial.
Existe, portanto, a necessidade da obtenção de ganhos em produtividade que permitam tornar a pecuária, principalmente nas regiões de terras mais valorizadas, mais rentável e competitiva, frente a outras possibilidades de uso da terra.
Neste contexto, a produção de bovinos em pastagens irrigadas por pivô central é uma tecnologia que vem sendo crescentemente adotada pelos pecuaristas, notadamente por aqueles que já dispõem de um nível tecnológico elevado e que possuem também elevada capacidade gerencial e de investimentos, como forma de aumentar a produtividade da sua atividade. Conforme apurou YASSU et al. (1998), atualmente 25% das vendas de equipamentos de pivô central pela Valmont Irrigation do Brasil, única fabricante de pivôs do país, são destinadas à pecuária. Os resultados que vêm sendo obtidos com a adoção desta técnica têm sido impressionantes. Elevadas taxas de lotação (até 10 UA/ha) combinadas com ganhos de peso vivo na faixa de 1,0 kg/dia, inclusive durante o período seco do ano, têm despertado o interesse de pecuaristas, técnicos e pesquisadores. Estes resultados têm também levado pesquisadores e técnicos a repensarem antigos “dogmas”, como, por exemplo, o de que a irrigação de pastagens durante o período seco, para diminuir a estacionalidade de produção das forrageiras, não daria respostas positivas devido às baixas temperaturas reinantes nesta época do ano. Como será discutido mais adiante, isto não é válido para todas as regiões de pecuária do país.
Neste trabalho são discutidos os aspectos envolvidos na produção de bovinos em pastagem irrigada. Inicialmente se discute a estacionalidade da produção de plantas forrageiras, que é o principal aspecto a ser vencido, ou pelo menos amenizado, pela irrigação. A seguir, é feita uma breve discussão a respeito do histórico da irrigação de pastagens no Brasil; são apresentados resultados de pesquisa, dados de custos de implantação de sistemas de irrigação e simulações sobre a viabilidade econômica da produção de bovinos de corte em pastagem irrigada. Por fim, são apresentados alguns requisitos básicos da técnica de produção de bovinos em pastagem irrigada por pivô central.
 
Retornar Seleção para leitura Artigo  sem moldura do site
 
   :: Fale Conosco ::
Todos os direitos reservados Domicio do Nascimento Junior. Produção do WebSite Valter Lobo