Domicio do Nascimento Junior
 

Seleção para leitura
Consorciacao de pastagens
Manejo do Pastejo
Considerações do Professor
Avaliação de Pastagens com Animais
Avaliação de Forrageiras
Avaliação da Digestibilidade
Anatomia e Histologia
Adubação nitrogenada
Consumo
Capim-Elefante
Desfolhação
Degradação de Pastagens
Formação de pastagens
Ecologia
Fixação de Nitrogênio
Fenação
Irrigação de pastagens
Glossário
Manejo de pastagens
Morfogênese
Nutrição a pasto
Queima de pastagens
Produção de Matéria Seca das Pastagens
Perfilhamento
PRODUÇÃO ANIMAL A PASTO
Pastagens Nativas
Produção de sementes
Principios de Fisiologia
Pragas das pastagens
Raízes
Reciclagem de Nutrientes
Silagem
Seletividade animal
Suplementação
Sustentabilidade de pastagens
Valor Nutritivo

   Manejo de pastagens

      O manejo da pastagem como gerador de ambientes pastoris adequados à produção animal
       
  12/8/2008  

Paulo César de Faccio Carvalho

Introdução

O Brasil, a partir da década de 70, experimentou uma mudança vertiginosa nos sistemas de produção animal baseados em pastagens. O resultado disso foi o monumental incremento das áreas com pastagens cultivadas, que cresceram de 30 para 100 milhões de ha no período (Jank et al., 2005). Às expensas desse crescimento, ao menos em parte, as pastagens naturais decresceram aproximadamente 25 % em sua superfície. Grande parte dessas flutuações ocorreu nos Cerrados, convertido no modelo expansionista da agropecuária nacional. O “sucesso ecológico” da adaptação de um gênero de gramínea africana nos tornou mundialmente conhecidos, seja do ponto de vista científico, seja do ponto de vista econômico, e fundamentou a atual posição e o temor que, respectivamente, desfrutamos e causamos em nível mundial.
Enquanto alguns festejam esse status adquirido, outros temem pelo futuro. No cenário contemporâneo destacam-se dois fenômenos que deverão influenciar a produção animal a médio e longo prazo: o endurecimento de barreiras não tarifárias ao comércio de nossos produtos e a crescente conscientização da sociedade com relação à preservação do meio ambiente e à qualidade do ambiente produtivo. A questão dos organismos geneticamente modificados é um bom exemplo recente de como a sociedade pode influenciar os meios de produção, e de como há espaço para o oportunismo. Para ilustrar o problema potencial, voltemos ao emblemático exemplo dos Cerrados. Ele pode ser usado tanto como modelo de transformação para o prisma positivo do avanço tecnológico das ciências agrárias, bem como para o prisma negativo da ecologia e da preservação ambiental, subsidiando restrições a esse sistema de produção, ainda que tenha como base o pasto.
É possível questionar o quão longe chegarão as exigências do mercado consumidor, e o quanto ele estará disposto a pagar por elas, mas o fato é que uma série de movimentos nos cenários nacional e mundial já se identificam em relação ao cuidado e a qualidade
dos produtos e dos sistemas de produção. No que diz respeito aos sistemas de produção baseados em pastagem, é preciso evoluir num debate que não tenha apenas a produtividade como argumento. É importante também reconhecer que os sistemas de produção baseados em pastagem tem vantagens do apelo ecologicamente correto, mas que isto não é tudo.
O primeiro objetivo deste trabalho é o de se fazer um alerta para as conseqüências de uma filosofia de busca única pela intensificação, contextualizado no manejo de pastagens. O segundo objetivo deste manuscrito é reflexivo e crítico, revisitando conceitos de manejo da pastagem de forma que se venha a estabelecer um padrão de discernimento crítico com relação a como direcionamos os avanços em manejo de pastagem num passado recente, procurando estabelecer um novo marco conceitual compatível com as novas exigências da sociedade para com a pastagem.
 
Retornar Seleção para leitura Artigo  sem moldura do site
 
   :: Fale Conosco ::
Todos os direitos reservados Domicio do Nascimento Junior. Produção do WebSite Valter Lobo